Menu

Os grandes assumem responsabilidades, os fracos, nem a própria culpa!

Quatro situações definem este contexto: você pode ter culpa e responsabilidade, pode ter responsabilidade, mas não ter culpa, pode também, não ter responsabilidade e ter culpa e, por fim, pode não ter nem culpa nem responsabilidade. 

Estas complexas situações convivem lado a lado em nosso dia a dia. É muito normal assumirmos estes postos em silêncio, e assim, travar enormes embates de consciência. Assumir culpa, não necessariamente define ter a culpa, isto, vale também, para a responsabilidade. 

A culpa se deve mais a quem provocou a situação, tomou a atitude, decidiu agir ou até, muitas vezes, a quem desviou ou influenciou uma decisão ou atitude de um terceiro. Em geral, a responsabilidade precede a culpa, pois a atitude assume por si só os resultados sobre os seus atos. 

Este campo é inerente as nossas vidas, pois decidimos e agimos o tempo todo e, consequentemente, assumimos responsabilidades, pois, ao agirmos, temos a culpa pelo ato.  

É praticamente certo que já vivenciamos e convivemos com todos estes quatro cenários, embora, culpa sem responsabilidade, não exista na teoria.  

É muito comum termos convivido com pessoas que não assumiram a culpa sobre algo que fizeram e, sendo assim, também não assumiram suas responsabilidades, pois o fato de se eximirem da culpa, imediatamente já não as tornam responsáveis. Apontar o culpado não faz parte da nossa cultura (mesmo quando sabemos quem é).  

Bem, este assunto embaralha muito nossas cabeças, pois convivemos em nossos íntimos com diversas culpas, e, muitas delas, não são nossas. Convivemos com responsabilidades de culpas que sabemos não ter.  

Enquanto pais, cônjuges, amigos, líderes, é muito comum nos culparmos por acontecimentos que se desencadeiam somente após alguns anos. Temos sim, uma grande mania de assumir culpas e até sofrer por elas, quando na verdade, muitas delas são somente fantasmas.  

Assumir culpas não nos traz nada de relevante, mas assumir responsabilidades nos dignifica, engrandece e encoraja. Grandes homens e mulheres da humanidade que conhecemos, assumiram grandes responsabilidades sem que tivessem tido culpa. Culpados que não assumem suas responsabilidades são fracos, medrosos e covardes.  

Assumir responsabilidades de suas culpas é nobre. Agora, assumir responsabilidades sem culpa é louvável. 

De hoje em diante, preste mais atenção nas pessoas louváveis e dê o respeito e a admiração que elas merecem, pois, existem muitas pessoas que fazem aquilo que não precisam fazer, simplesmente por seu senso de responsabilidade, independente da culpa, assim como também existem aqueles, que, jamais assumirão suas responsabilidades e muito menos, suas culpas. 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

– Publicidade –

Notícias Recentes

Cadastre-se

Fotos Recentes