Brasileiro prefere semáforo nutricional em rótulos de alimentos e bebidas

Brasileiro prefere semáforo nutricional em rótulos de alimentos e bebidas
16/01/2018   Publicado por Marco Marcelino  

Pesquisa realizada pelo IBOPE Inteligência mostra que, cerca de 7 em cada 10 entrevistados, preferem o semáforo nutricional

Uma pesquisa realizada pelo IBOPE  indica que 67% dos brasileiros preferem o semáforo nutricional na embalagem. 31% dos entrevistados declaram preferir o modelo de advertência nos rótulos de alimentos e bebidas. A proposta que utiliza cores para traduzir as informações sobre o teor de açúcares, gordura e sódio dos produtos. A indicação que é conhecida como Semáforo Nutricional Quantitativo é considerada mais clara e didática para 65% dos entrevistados.

“Embora os dois modelos sejam bem avaliados pela população, na avaliação individual ela tem uma preferência. Quando perguntamos qual deles gostariam de encontrar na parte frontal das embalagens, a maioria indica o modelo semáforo nutricional”, afirma Patrícia Pavanelli, diretora de contas do IBOPE.

A nova proposta de rotulagem nutricional frontal, vem sendo discutida na sociedade. O objetivo é trazer as informações sobre o teor de nutrientes contidos nos alimentos para a parte da frente das embalagens. A pesquisa fez a comparação entre o modelo de semáforo nutricional e o de advertência. Ambos apresentados à Anvisa como propostas para rotulagem frontal no Brasil. O tema é prioritário na agenda regulatória da Agência.

A pesquisa ainda revela que 81% dos entrevistados avaliam que o modelo do semáforo facilita a compreensão das informações nutricionais. O sistema de cores usado para classificar os nutrientes em um rótulo frontal é avaliado como ótimo/bom por 85% da população. Contra 74% do modelo de advertência. Além disso, 47% avaliam a facilidade de leitura e compreensão das informações com nota 9 ou 10, contra apenas 26% da avaliação do modelo de advertência.





Veja Também: